15°/ 27°
Belo Horizonte,
31/OUT/2016

Atividades »

Personal gestante cuida da saúde das mulheres com exercícios físicos

Profissional cuida de futuras mães com exercícios específicos para o fortalecimento do assoalho pélvico, além de movimentos de ioga e pilates

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Paula Takahashi - Estado de Minas Publicação:09/08/2013 13:00Atualização:09/08/2013 13:21
Marcella Mello ensina a professora Erica Costa, que está com cinco meses de gravidez, exercícios que melhoram o condicionamento físico (Leandro Couri/EM/D.A Press)
Marcella Mello ensina a professora Erica Costa, que está com cinco meses de gravidez, exercícios que melhoram o condicionamento físico

Gravidez pode até não ser sinônimo de doença, mas é fato que as gestantes precisam de cuidados especiais, principalmente quando o assunto é atividade física. Há um ano a fisioterapeuta Marcella Mello começou a trabalhar exclusivamente com pilates para grávidas e hoje ela é uma verdadeira personal gestante. “Há exercícios específicos para fortalecimento muscular, principalmente para amenizar as dores nas costas e o inchaço nas pernas”, afirma Marcella.

Séries de exercícios voltadas para o fortalecimento do assoalho pélvico também fazem parte da rotina, principalmente entre as adeptas do parto normal. “Trabalhamos também a respiração, técnicas para relaxar e dormir melhor, posicionamento. Tudo associando ioga e pilates”, explica Marcella. O corpo da gestante é todo avaliado para que sejam direcionados exercícios específicos para cada aluna. “São verificados os desvios que se acentuam durante a gestação e, a partir daí, corrigidos. A intenção é garantir o bem-estar da mulher durante os nove meses”, explica Marcella.

Com atendimento exclusivo, a personal gestante vai até a casa da aluna com todo o material necessário para a aula. “A partir do terceiro mês já começa a procura. Para quem já faz alguma atividade, eu ainda dou instruções de caminhada, frequência cardíaca e velocidade”, conta. A professora Érica Michelle da Silva Costa, de 28 anos, procurou o auxílio da personal gestante para amenizar fortes dores nas costas. “Não sabia, mas também vou ter preparo para o parto, sem contar a melhoria do condicionamento”, conta, aos cinco meses de gestação. Para ela, a busca por um profissional especializado em grávidas garante mais confiança. “A atenção é voltada para mim e para o meu corpo. Senti mais segurança porque vou ter suporte tanto físico como também de alimentação”, afirma Érica.

A educadora física Gizele Monteiro treina e forma profissionais para atuar como personal gestante. Segundo ela, o mercado nessa área em Belo Horizonte está apenas engatinhando (Elsir Bastos/Divulgação)
A educadora física Gizele Monteiro treina e forma profissionais para atuar como personal gestante. Segundo ela, o mercado nessa área em Belo Horizonte está apenas engatinhando

A fisioterapeuta na área de obstetrícia do Instituto Nascer, Renata Cangussu, explica que nessa fase há alterações hormonais que modificam ligamentos e musculatura. “O corpo está diferente e o profissional precisa entender essas variações para fazer um trabalho voltado para a saúde da mulher”, afirma. O foco no assoalho pélvico pode evitar, inclusive, a incontinência urinária, muito comum entre as gestantes. “Também priorizamos os músculos mais profundos do abdômen com o objetivo de evitar a diástase, que é um afastamento do reto abdominal. Quando isso ocorre, pode trazer uma instabilidade da pélvis, dor lombar e aumentar o risco de hérnia”, conta Renata.

O profissional especializado em prescrever exercícios para essas mulheres ainda é uma novidade em Minas Gerais, mas uma realidade cada vez mais comum em várias regiões do Brasil. Todos com o objetivo de garantir a segurança na prática de atividades físicas, além de trabalhar para o aumento da disposição das gestantes durante os nove meses, reduzir o risco de doenças – como a pré-eclâmpsia e depressão pós-parto –, melhorar a resistência muscular, auxiliar no controle de peso e aliviar os desconfortos.

PERSONALIZADO
A educadora física Gizele Monteiro é uma das responsáveis por disseminar o conceito de personal gestante por meio do treinamento e formação de profissionais qualificados. Em 2008 ela criou, em São Paulo, o programa Mais Vida Gestantes, uma espécie de consultoria e escola para personal gestantes. “Formamos mais de 100 profissionais em todo o Brasil e também em Portugal, mas ainda não tivemos interessados da capital mineira”, conta.

Para ela, há um extenso mercado a ser explorado, mas que ainda engatinha em Belo Horizonte. “Muitos profissionais sabem, na teoria, que a grávida precisa de cuidados especiais no que diz respeito à frequência cardíaca, tipo de exercício, intensidade, peso, mas não conseguem aplicar”, afirma. Por isso a importância de uma qualificação específica na área. Para ela, a falta de sensibilidade dos profissionais às demandas das gestantes foi um dos principais impulsos para se especializar.

“São várias questões que devem ser avaliadas para se saber o que cortar, como alterar os exercícios. Enfim, há uma individualidade muito grande”, observa. A questão postural é um dos fatores comuns a praticamente todas as gestantes. “Por isso devem ser direcionadas atividades específicas para fortalecimento de determinados músculos. Uma aula trabalha toda a parte aeróbica, ginástica localizada e treinamento funcional seguro com bola, plataforma de equilíbrio e outros materiais”, acrescenta.

Mais segurança
As academias também buscam oferecer serviço especializado para atender a demanda da gestantes. Na Companhia Athletica foi desenvolvido um programa exclusivo para garantir mais segurança na prática de exercícios. “Coletamos as informações da aluna e enviamos todas as prescrições de atividades para seu médico obstetra. Se houver alguma complementação ou restrição, as adaptações são providenciadas”, explica o gerente do programa de resultados e treinamento corporativo Diogo Fiorini. Há inclusive um sistema para gerir tudo que é prescrito para os alunos. “Temos diretrizes internacionais e, caso seja inserida alguma atividade que não é indicada para gestantes, o sistema informa automaticamente”, explica Diogo.

 Érica Michelle da Silva Costa, de 28 anos, procurou o auxílio da personal gestante para amenizar fortes dores nas costas (Leandro Couri/EM/D.A Press)
Érica Michelle da Silva Costa, de 28 anos, procurou o auxílio da personal gestante para amenizar fortes dores nas costas

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.