19°/ 29°
Belo Horizonte,
20/ABR/2014

Assédio na rua: 'mimimi' de rede social ou violência contra a mulher?

Saúde Plena ouve homens e mulheres sobre assunto polêmico. Pesquisa que entrevistou quase 8 mil brasileiras pela internet tem validade questionada, mas provocou intenso debate entre casais, amigos, especialistas e blogueiros. Assédio, cantada e paquera são sinônimos? As mulheres são vítimas? Homens são bandidos?

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Letícia Orlandi - Saúde Plena Valéria Mendes - Saúde Plena Publicação:19/09/2013 09:00Atualização:19/09/2013 14:20

O assédio na rua é considerado 'natural' por alguns, mas uma pesquisa realizada na internet alimentou debate intenso sobre a questão (Banco de Imagens / sxc.hu)
O assédio na rua é considerado 'natural' por alguns, mas uma pesquisa realizada na internet alimentou debate intenso sobre a questão
De tarde, por volta das 15h, eu e uma amiga andávamos na região centro-sul de Belo Horizonte, perto da Praça da Liberdade, quando notei que um homem andava atrás da gente. Como o local era movimentado, era dia e parecia uma situação corriqueira, segui caminho. De repente, levo um tapa/aperto forte na bunda, acompanhado de um desses sussurros nojentos no ouvido, dizendo “Que delííííciiaaa....”. E o autor saiu andando no mesmo passo, como se o ocorrido fosse normal e de direito dele. A minha vontade era de ter dado um soco, gritado, arranhado, mas só fiquei sem reação, chocada.

Esta é uma das histórias que o Saúde Plena ouviu ao indagar homens e mulheres sobre o assédio na rua. Fato comum e incorporado ao cotidiano, esse comportamento passou a ser discutido de forma mais intensa após a divulgação, na última semana, dos resultados da pesquisa ‘Chega de Fiu Fiu’. Passado o rebuliço que os números causaram nas redes sociais, motivando uma guerra de posts em blogs e linhas do tempo de famosos e anônimos, ouvimos a idealizadora da campanha sobre os objetivos do questionário, mas também buscamos a opinião de representantes da sociologia, da ciência política e do direito - além dos homens, é claro - sobre a situação enfrentada por mulheres no mundo inteiro, todos os dias, com menor ou maior gravidade.

A pesquisa recebeu vários questionamentos quanto à sua validade e método, conforme você lerá nas próximas páginas, mas afinal: assédio na rua é normal? É violência? Está vinculado a um cenário mais amplo de preconceito? CLIQUE NOS LINKS ABAIXO E LEIA A REPORTAGEM COMPLETA:


Primeira parte: Conheça histórias de assédio e veja os detalhes da pesquisa que incendiou o debate


Segunda parte: Assédio sexual na visão dos homens: a culpa é da roupa?


Terceira parte: Quando o assédio sexual vira caso de polícia: mulheres coitadinhas ou mulheres sem voz?

Frase publicada pela jornalista Juliana de Faria, responsável pela campanha 'Chega de Fiu Fiu' (Reprodução / thinkolga.com)
Frase publicada pela jornalista Juliana de Faria, responsável pela campanha "Chega de Fiu Fiu'

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.