12°/ 21°
Belo Horizonte,
28/JUL/2014

Juiz americano defende morte assistida para pacientes terminais

Decisão faz do Novo México o quinto estado americano a adotar política de morte assistida por meio do uso de medicamentos

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
AFP - Agence France-Presse Publicação:14/01/2014 10:41Atualização:14/01/2014 10:46
Um juiz do Novo México (sudoeste dos Estados Unidos) determinou que pacientes com doenças terminais tenham direito que seus médicos prescrevam drogas que os ajudem a morrer, informou a imprensa americana. "Esta Corte não pode conceber direito mais fundamental, privado ou mais integral à liberdade, segurança e felicidade que o direito de um paciente competente com uma doença terminal a pedir ajuda para morrer", afirmou o juiz Nan G. Nash.

O caso foi apresentado por dois médicos que buscavam proteção caso fossem processados por fornecer drogas fatais à paciente Aja Riggs, de 49 anos e portadora de câncer. A decisão faz do Novo México o quinto estado americano a adotar esta política.

A morte assistida é permitida em Oregon, Washington, Montana e Vermont. A prática tem sido alvo de debate desde que foi aprovada pela primeira vez no Oregon, em 1997.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.